Regras para a amarração de cargas

Regras para a amarração de cargas

As regras para a amarração de cargas são importantes não apenas para o embarcador de mercadorias, mas também para quem realiza o transporte e para a segurança das estradas, evitando acidentes.

Possivelmente você já deve ter presenciado a cena de um caminhão virado e mercadorias espalhadas por uma rodovia.

Esse problema ocorre, muitas vezes, em função do descuido no posicionamento e amarração da carga, fazendo com que ela se desloque durante o transporte, podendo causar o tombamento do veículo.

Outro problema está no rompimento das amarrações que pode causar sérios acidentes, quando produtos se desprendem da carroceria e atingem veículos e pessoas.

Neste post apresentamos as regras para a amarração de cargas. Continue lendo e saiba mais sobre esse assunto!

Por que existem regras para a amarração de cargas?

As regras para a amarração de cargas foram estabelecidas pela Resolução 552/16 do Contran — Conselho Nacional de Trânsito e alteradas pela 676/17, fixando os requisitos mínimos para o cumprimento dessa exigência.

O objetivo dessa Resolução é o de garantir a segurança, exigindo que transportadores se adequem às normas estabelecidas por lei e penalizando os infratores, que colocam em risco a vida daqueles que utilizam as rodovias.

A legislação prevê condições para que as cargas sejam preparadas para as viagens e o não cumprimento dessas obrigações geram multas e apreensões de veículos.

Exigências e obrigatoriedades

Todo transportador de cargas deverá atender às seguintes determinações estabelecidas pela legislação:

Proibição das cordas para amarração

As cordas não podem ser utilizadas para a amarração e fixação de cargas, exceção feita para prender a lona que cobre a carga.

O motivo se dá pela falta de elasticidade e resistência desse material, que pode se romper com facilidade.

Fixação das mercadorias

A amarração e fixação das mercadorias na carroceria dos caminhões deverão ser feitas por:

  • cintas têxteis,
  • cabos de aço,
  • correntes.

Esses materiais precisam ser resistentes no mínimo ao dobro do peso da carga transportada.

Podem ser utilizados como dispositivos adicionais:

  • barras de contenção,
  • trilhos,
  • malhas,
  • redes,
  • calços,
  • mantas de atrito,
  • separadores,
  • bloqueadores,
  • protetores.

Pontos de amarração

Os pontos de amarração devem obedecer às seguintes determinações:

Precisam ser projetados para transmitir as forças que recebem aos elementos da estrutura do veículo.

Devem ser fixos na plataforma de carga e sobre o painel frontal do veículo.

Não devem ficar acima do nível horizontal da plataforma.

Também não podem ficar sobre a parede vertical dianteira no interior da carroceria.

Os encaixes para acomodar os pontos de amarração devem ser os menores possíveis.

Cargas indivisíveis

Nos casos de transporte de cargas indivisíveis, deverão ser providenciados, no mínimo, quatro pontos de amarração, utilizando-se os materiais já mencionados anteriormente.

Cargas secas

No transporte de cargas secas, quando o volume de material ocupar todo o espaço da carroceria, a amarração deverá ser feita externamente.

Os cuidados no atendimento das normas e regras para a amarração de cargas, além de proteger os produtos transportados, evitam prejuízos aos veículos e diminuem substancialmente os acidentes, poupando vidas e prejuízos patrimoniais.

Portanto, é imprescindível que os veículos que trafegam pelas rodovias de todo o país estejam adequados a essas normas, contribuindo para uma nova fase na segurança dos transportes de cargas do país.

Agora que você já sabe quais são as regras para a amarração de cargas, continue conosco e leia nosso post que apresenta como aumentar o faturamento com transporte de cargas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *