tipos de eixo

Tipos de eixo: qual é o do seu caminhão?

Se tratando de transporte rodoviário de cargas, os veículos são divididos em categorias.

Existem os Veículos Urbanos de Cargas (conhecidos como VUCs) que podem ser classificados em tamanho pequeno, médio e grande, bem como os trucks e os superpesados.

Independente do tamanho dos caminhões, o que determina quanto cada um deles pode transportar é o número e o tipo de eixo que os modelos possuem

Ainda quanto a questão da carga máxima permitida, o fato é que, mesmo havendo normas relativas à carga máxima para os caminhões, também devem ser obedecidas as restrições ao peso máximo por eixo.

Isso quer dizer que, mesmo que você esteja carregando menos peso do que o permitido para uma carreta, pode estar incorrendo em uma infração em algum dos eixos da composição, por má distribuição da carga.

Se você quiser saber mais detalhes sobre como funciona os tipos de eixo e as cargas que cada caminhão pode transportar, continue lendo esse post.

Os tipos de eixo

O eixo é o local onde são instaladas as rodas dele. É esse eixo que liga os pneus de uma lateral a outra do caminhão.

Os eixos podem ser simples, duplos ou triplos e suportam um peso máximo que varia entre 6 e 30 toneladas de carga.

Eixos simples

Os eixos simples são indicados para transportes mais leves e fracionados e, geralmente, estão presentes nos veículos urbanos de cargas.

Normalmente são destinados para mudanças e para entregas de comércio varejistas em geral, como Casas Bahia e Magazine Luiza.

Os eixos simples se dividem dois tipos:

Rodagem simples – tem um pneu em cada ponta do eixo e pode suportar até 6 toneladas de carga.

Rodagem dupla – possuem dois pneus em cada ponta, sendo que esse tipo de eixo pode aguentar até 10 toneladas.

Eixos duplos

Os eixos duplos também são divididos em diferentes especificações.

Os eixos tandem que são aqueles de rodas duplas, compostos por dois ou mais eixos seguidos. Eles podem ser duplo (com 2 eixos e 2 rodas em cada extremidade), somando 8 pneus.

Os eixos tandem também podem ser triplos, apresentando 3 eixos e 2 rodas em cada extremidade, somando 12 pneus.

Já o outro tipo são os eixos duplos não em “tandem”, que são vistos nos caminhões com rodas duplas e com espaçamento maior de 2m entre elas.

Como funcionam os eixos duplos

Os eixos podem ter um espaçamento menor ou estar mais distantes.

Geralmente, no caso do menor espaçamento, os centros dos eixos estão a uma distância de 1,20m e no caso do maior espaçamento de até 2,40m.

Há ainda eixos com distância maior do que 2,40m.

Assim sendo, os eixos duplos podem possuir um eixo de rodagem simples (2 pneus) e um de rodagem dupla (4 pneus).

Quando o tandem for menor, o limite de carga é de 9 toneladas, no caso de um tandem maior, o volume vai a 13,5 toneladas.

Quando os dois eixos tiverem rodagem dupla, os pesos máximos serão de 15, 17 e 20 toneladas, respectivamente, para tandens de até 1,20m, de 1,20m a 2,40m e de mais de 2,40m de distância entre eixos.

Eixos triplos

Aqui se enquadram os caminhões grandes que rodam em baixa velocidade e geralmente transportam cereais a granel em suas carrocerias.

Esse tipo de eixo, o triplo, sempre possui três composições de rodagem dupla, totalizando 12 pneus.

O que varia é a distância entre os eixos: na primeira faixa de tandem, o peso máximo comportado é de 25,5 toneladas, passando para 27 toneladas e 30 toneladas, respectivamente, nas outras duas faixas de distanciamento entre eixos.

De forma sintetizada, é possível compreender todos os tipos de eixo no infográfico abaixo:

Tipos de eixo x rodagem

A distribuição de carga é uma ciência cuidadosa e envolve muitos cuidados para cumprir a legislação devidamente.

Você vai perceber que poderá encontrar eixo simples com rodagem dupla e vice-versa.

Escolher adequadamente o eixo para cada viagem e carga evita multas, otimiza o processo de entrega e diminui custos para as transportadoras.

Na hora de escolher uma transportadora para fazer a sua entrega de forma segura, prática e eficiente, a CARGOBR ajuda a escolher a melhor empresa. Faça uma cotação online!

futuro da logística

Transporte e Infraestrutura: qual o futuro da logística?

Todo produto comprado em uma loja ou supermercado, depende de pelo menos um transporte de carga para que chegue ao fornecedor e também ao consumidor final.

Sendo assim, o transporte de carga é uma das etapas fundamentais para a produção e distribuição de praticamente tudo aquilo que consumimos.

Mas, nem sempre o processo de transporte foi rápido e eficaz como hoje.

No passado, por exemplo, a maior parte das rodovias não era asfaltada e nem tinha iluminação, o que fazia com que toda a operação fosse difícil, demorada e custosa.

O progresso e a tecnologia chegaram para otimizar os processos de carga, mas, ainda existe muita novidade por vir para acelerar e melhorar toda essa infraestrutura.

Qual o futuro da logística no segmento de transportes de cargas? É isso que você vai saber lendo esse post.

As novidades do setor de transporte na área da logística

De 19 a 21 de 2019, aconteceu na cidade de São Paulo, a 25ª edição da Intermodal South America, reconhecida como a principal feira das Américas em logística, transporte de cargas e comércio exterior.

O evento reuniu as principais empresas de transportes nos modais rodoviário, ferroviário, naval e aéreo.

Também estiveram presentes empresas especializadas em serviços logísticos, apresentando lançamentos e dando um parecer de como será o futuro da logística dentro do segmento de transportes.

As expectativas em relação ao setor para o futuro são:

Containers com monitoramento em tempo real

Uma das novidades apresentada no evento foi a tecnologia que recebeu o nome de RCM.

Por meio dela, será possível monitorar, em tempo real, toda a carga, tendo acesso às informações desde o embarque até a entrega no seu destino.

A inovação é do Grupo Maersk e a partir do terceiro trimestre de 2019, todos os 370 mil contêineres da frota da empresa contarão com essa tecnologia.

Otimização nas comunicações

No evento também foram apresentadas novidades em relação à comunicação cliente e carga.

Na oportunidade foi lançado o aplicativo WeBrado, com foco total para o gerenciamento de risco da carga.

A tecnologia permitirá de maneira mais simplificada a rastreabilidade desde a saída até o momento de entrega da carga.

O aplicativo ainda permite consultas às notas fiscais, download de relatórios, exportação e compartilhamentos de arquivos, o que solucionará todo e qualquer problema de comunicação existente entre os envolvidos.

Uma outra novidade foi o website DHLi, que permite que as informações de embarques aéreos e marítimos sejam coletadas em tempo real. Por meio dele também é possível solicitar a reserva de espaço para carga.

Os serviços permitirão controle total da operação por meio de comunicação integrada entre o ponto de partida, motorista, carga e destino final.

Exceção feita para as novidades da Intermodal, o futuro da logística na área de transporte de carga, já vem se mostrando há mais tempo, principalmente no exterior.

Entrega por drone

Apesar de toda a tecnologia e inovação, com as vendas online estando em franco crescimento, a entrega por drone ainda não chegou no Brasil, embora seja uma expectativa para o futuro da logística.

Uma pesquisa realizada pela CNT, em relação ao uso do drone, aponta que 60,3% dos entrevistados ainda não estão preparados para receberem suas mercadorias em casa utilizando-se do equipamento e isso envolve razões culturais.

O uso do drone para entregas pode tornar toda a operação mais eficiente, além de diminuir custos e prazos, dada a agilidade do processo.

Além do mais, eles podem ajudar de forma significativa na sustentabilidade do planeta.

Veículos sem motorista

Andar num veículo sem motorista ainda é surreal para a maioria das pessoas.

Enviar uma carga por um veículo automatizado também está fora dos planos de muitos envolvidos no setor de transporte. Mas, por certo, será o futuro da logística.

A Uber, por exemplo, comprou em 2016 a Otto, empresa que desenvolveu o caminhão sem motorista, automatizado, que será utilizado para entrega de cargas.

Talvez ainda demore para que se crie a cultura do veículo sem motorista, mas, muito provável ele será comum num futuro.

O certo é que o futuro da logística tende a otimizar em todos os sentidos o sistema de transporte de cargas, com gestões eficientes que englobarão análise pontual de dados, permitirão comunicação em tempo real e integrada, gerando segurança e qualidade para quem transporta, para quem envia e para o cliente final.

A CARGOBR é uma plataforma que possibilita que você escolha a melhor e mais moderna transportadora para a sua carga, com o que há de mais moderno em termos de transporte rodoviário. Acesse o site e faça seu orçamento gratuito.

restrição de circulação

Restrição de circulação nas principais cidades dificulta entregas

A restrição de circulação de veículos pesados, nas principais cidades do país, dificulta muito as operações de logística, tanto para o transportador como para os comerciantes que precisam receber mercadorias para oferecer ao público.

Segundo o Portal NTC, da Associação Nacional de Transporte de Cargas e Logística, as restrições ocorrem em função da densidade populacional das grandes cidades, que afeta a mobilidade e gera congestionamentos imensos.

Os caminhões que circulam com o propósito de recolher e entregar mercadorias são agentes no processo de lentidão do trânsito, causando ainda problemas ambientais em função da poluição gerada pelo óleo diesel, principal combustível desses veículos.

Nesse post você vai entender como a restrição de circulação afeta o transporte e quais as possíveis soluções para esse problema.

Por que a restrição de circulação surgiu?

O número de veículos circulando nas cidades aumentou de forma expressiva nas últimas décadas.

Segundo uma pesquisa divulgada em maio de 2018 pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), subordinada à Prefeitura de São Paulo, na época haviam 7,4 veículos motorizados para cada 10 habitantes.

Só a capital paulista possuía nesta época 8,6 milhões de carros, motos, ônibus e caminhões. O grande fluxo de veículo circulando é a realidade de quase todas as capitais e grandes cidades do Brasil.

Esses números, desproporcionais à infraestrutura de transporte, são os responsáveis por congestionamentos e lentidão no trânsito.

Por isso, leis e normas foram criadas, com intuito de definir a restrição de circulação na maioria das grandes cidades.

Segundo a Confederação Nacional de Transportes aproximadamente 200 municípios adotavam em 2016 medidas em relação à circulação de mercadorias dentro de suas áreas.

A restrição como solução para o trânsito

Usando ainda a cidade de São Paulo como parâmetro, a Prefeitura adotou um sistema rotativo para o acesso de veículos em geral na região central, onde para cada dia da semana, somente placas com determinado número final podem circular.

O objetivo é restringir a circulação pelas movimentadas avenidas e ruas da cidade.

Outra medida que é adotada por praticamente muitas cidades do país, é a restrição em horário comercial na entrega ou coleta de mercadorias realizadas por qualquer veículo de carga nas regiões centrais.

Isso evita que caminhões, caminhonetas e outros veículos de cargas trafeguem por essas regiões, diminuindo ainda mais a velocidade e causando imensos congestionamentos em função das dificuldades que esses têm em manobrar e estacionar.

A restrição de circulação e as dificuldades na entrega

Se a restrição proporciona uma certa ordem no vai e vem de veículos das grandes cidades, por outro lado, trouxe dificuldades para o serviço de entrega de cargas.

A CNT publicou em abril de 2018 que as restrições de circulação provocaram aumento de até 20% nos custos dos fretes, diante das dificuldades enfrentadas para entregar a carga no seu destino final.

Tanto é que algumas transportadoras passaram a adotar a TDE, Taxa de Dificuldade de Entrega, e também a TRT, Taxa de Restrição ao Trânsito.

As principais dificuldades encontradas pelas transportadoras são:

Caminhões parados

Tomando a capital paulistana mais uma vez como exemplo, a descarga e carregamento de um caminhão só pode acontecer entre 21h e 5h nos dias úteis.

Por mais que se organize horário de saída e entrada de uma carga, o transporte rodoviário é muito vulnerável e nem sempre consegue-se chegar dentro dos horários planejados e permitidos, qualquer paralisação em uma rodovia pode acarretar atrasos.

Isso faz com que caminhões permaneçam parados na proximidade caso cheguem fora do horário permitido.

Além do tempo que ele vai ter que ficar esperando, pode comprometer a carga se for perecível.

A solução para o problema é bem difícil, mas o certo é sair com antecedência para chegar dentro do horário permitido, mesmo enfrentando paradas no trajeto.

Outro jeito é, antes de pegar a estrada, buscar informações de como funcionam as restrições de circulação na cidade destino.

Falta de divulgação e padronização sobre a restrição

Uma das grandes dificuldades enfrentada pelos caminhoneiros é não saber como funciona a restrição de circulação dentro do município em que ele precisa fazer a entrega.

Muitos municípios adotam restrições diferentes entre seus bairros, ou seja, as regras mudam de um local para outro mesmo dentro da mesma cidade.

É normal também novos municípios adotarem medidas de restrição de mercadorias sem divulgação das normas. Quando isso acontece, simplesmente o caminhoneiro que não sabia, precisa ficar esperando pela liberação de entrada.

Uma solução é a união do setor de transportes rodoviários para exigir dos órgãos competentes ampla divulgação na adoção ou mudança na medida de restrição de circulação quando vier a ocorrer.

Enquanto isso não acontece, a orientação é que a transportadora e o caminhoneiro se encarreguem de pesquisar os procedimentos dentro de cada município.

Dificuldade no atendimento

Alguns segmentos como supermercados, shoppings e boa parte do comércio adotam seus esquemas próprios para carregar e descarregar.

Muitas vezes esse processo conflitua com as restrições de circulação impostas pelos dirigentes municipais, acarretando uma série de problemas para quem está recebendo e entregando a mercadoria.

Segurança

A segurança é outro problema enfrentado por parte dos caminhoneiros e para a carga em geral.

Muitos deles, quando precisam esperar os horários permitidos, não conseguem parar em locais adequados e seguros, colocando-os em risco e a carga também.

Nesse quesito roubos de cargas são bem comuns.

Existe solução para as dificuldades da restrição de mercadoria?

A CNT aponta algumas orientações que serviriam como soluções para transportadoras e caminhoneiros melhorarem seus processos de entrega nos locais com restrição de circulação.

São elas:

  • Planejamento urbano que inclua o transporte de carga durante horário comercial no município e em toda a região metropolitana;
  • Gestão democrática incluindo nas decisões de planejamento todos os setores envolvidos: comerciantes, transportadores, compradores, fornecedores, etc;
  • Divulgação ampla para conhecimentos de todos sobre restrições ao transporte de carga;
  • Oferecer locais para paradas que proporcionem segurança para o motorista e para a carga;
  • Ampliar as ofertas desses postos de paradas.

A realidade é que a maior parte das mercadorias comercializadas no país tem como destino cidades que adotam restrição de circulação e, por conta disso, as dificuldades de entregas precisam ser contornadas enquanto novas medidas não ajudam todo o setor.

A CARGOBR oferece opções através de sua plataforma para que você contrate serviços especializados de transporte com profissionais capacitados para enfrentar a restrição de circulação. Acesse agora e faça uma cotação gratuita.

sociedade anônima

Sociedade Anônima: documentos para a abertura.

Se você já sabe que o tipo de sociedade que mais se adequa ao seu negócio é a Sociedade Anônima (também conhecida por SA), esse post é para você!

O processo de formalização da Sociedade Anônima é burocrático, sendo necessário o acompanhamento de um profissional contábil.

Apesar disso, você pode agilizar algumas partes, como a separação dos documentos necessários, bem como ter um maior entendimento sobre como funciona todo o processo.

Esse post é destinado para você que quer abrir uma Sociedade Anônima e saber, antecipadamente, quais documentos precisa, continue lendo!

O que é uma sociedade anônima?

Denomina-se Sociedade Anônima a empresa com fins lucrativos que tenha o seu capital dividido em ações.

Nas Sociedades Anônimas, as responsabilidades de seus sócios se limitam às quantidades das ações que cada um deles tem. Esses sócios são chamados de acionistas.

Uma sociedade pode, por exemplo, ser constituída de três sócios, sendo um com 51% das ações, outro com 32% e outro com 17%.

Isso significa que a responsabilidade do primeiro sócio é de 51%, do segundo 32% e o terceiro apenas 17%.

Documentos necessários para a abertura de uma Sociedade Anônima

A primeira dica para quem quer constituir uma Sociedade Anônima é se orientar por meio da Lei n.º. 6.404/76, principalmente atentando ao seu artigo 80, para saber exatamente todos os requisitos institucionais que devem ser atendidos antes de providenciar toda a documentação.

Nesse momento, sabendo da viabilidade, é essencial contar com a ajuda de um contador para fazer tudo de acordo com a Lei e de forma segura.

Para atender os requisitos você precisa:

  • Consultar a viabilidade do seu negócio, que pode ser realizada no site da Junta Comercial do seu estado;
  • Ter a Ata Geral de Constituição da Sociedade, contendo o visto de um advogada com número da OAB;
  • Fazer seu CNPJ junto ao site da Receita Federal;
  • Elaborar o estatuto social;
  • Providenciar o Documento Básico de Entrada (DBE) – documento que será usado praticar qualquer ato em diversas circunstâncias perante o CNPJ;
  • Providenciar o pagamento do DAE (Documento de Arrecadação Estadual);
  • Comprovante de endereço da empresa.

Cada um desses itens requer muita atenção na sua elaboração, por isso, a orientação de uma assessoria contábil é a melhor opção para agilizar o processo para abertura da Sociedade Anônima de maneira correta e dentro da Lei.

Também é necessária uma lista de documentos pessoais de cada acionista:

Documentos pessoais de cada acionista

Para dar sequência no encaminhamento de toda a documentação para abertura de uma SA, cada um dos seus sócios deve apresentar:

  • Documento de identificação;
  • Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • Comprovante de residência;
  • Título de eleitor (é necessário estar em dia com as obrigações eleitorais);
  • Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) do ano vigente.

Tendo todos os requisitos institucionais elaborados conforme a Lei determina e apresentando todos os documentos pessoais, o seu contador dará entrada numa série de processos burocráticos que passam desde Receita Federal, Junta Comercial e Prefeitura.

Não havendo nenhum impedimento por parte desses órgãos, você terá formalizado a sua Sociedade Anônima e poderá exercer as atividades previstas em toda a documentação.

Reforçando que para o sucesso da sua empresa e segurança do seu empreendimento, é necessário cumprir com compromissos fiscais e jurídicos, desde a abertura da Sociedade Anônima. Portanto, o contador deve estar presente em todos esses momentos.

Esse post foi útil para você? Que ler também sobre como escolher os melhores fornecedores para sua empresa?

principais transportadoras nacionais

As principais transportadoras do Brasil

A logística é de fundamental importância no processo de vendas, afinal de contas, seu cliente só ficará tranquilo quando o receber o seu pedido em mãos.

Tanto em vendas por e-commerce, como em operações comerciais no modelo tradicional, a escolha da transportadora é muito importante para fechar com chave de ouro a sua negociação.

Afinal, a qualidade no atendimento inicia-se no primeiro contato e só termina após a entrega da mercadoria, e todo esse processo é que fará seu cliente retornar para novas compras.

Nesse post, você conhecerá 5 principais transportadoras do Brasil que desempenham seu papel na logística de forma assertiva. Confira!

As principais transportadoras do Brasil

O Brasil é o país que mais concentra transporte de cargas por vias rodoviárias do mundo.

Possui uma frota de caminhões de fazer inveja, que circulam de norte a sul e de leste a oeste desse imenso país.

Portanto, as principais transportadoras do Brasil estão entre as maiores do mundo, atendendo as mais diversas necessidades e nos mais diferentes modelos.

Conheça as principais delas, em ordem alfabética, a seguir:

Embraen

Atendendo empresas como Americanas, Grupo Herval e DPASCHOAL, há 18 anos a Embraen oferece soluções integradas de transporte.

Sede: Embu das Artes/SP.

Filiais: Pernambuco e Paraná.

Atende todo o Brasil.

Site: http://www.embraen.com.br/

Principais serviços:

  • Carga lotação;
  • Carga fracionada;
  • Armazenagem física, gerenciamento, movimentação e distribuição;
  • Escolta;
  • Informação e rastreamento;
  • Entregas em magazines e varejos;
  • Transporte aéreo.

FedEx

A FedEx é a maior empresa de entregas expressas do mundo, atuando em mais de 220 países.

Mantém um quadro com 9 mil funcionários e fechou o ano de 2018 com um faturamento global de aproximadamente US$ 67 bilhões.

Sede: Estados Unidos.

Sede no Brasil: São Paulo/SP.

Filiais e pontos de operação: todo o Brasil.

Atende todo o mundo.

Site: https://www.fedex.com/pt-br/home.html

Principais serviços:

GRAN Cargo

A GRAN Cargo atende mais de mil cidades brasileiras e um dos seus diferenciais é o Door to Door, um serviço que consiste na coleta e entrega porta-a-porta.

Sua estrutura permite atender o fornecedor, a indústria e comércio.

Sede: São Paulo/SP.

Filiais: Acre, Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Minas Gerais.

Atende a todos os estados onde possui matriz e filiais.

Site: http://www.grancargo.com.br/

Principais serviços:

  • Carga fracionada;
  • Carga lotação;
  • Operação reversa.

Nowlog

Desenvolvendo seus trabalhos e tornando-se uma especialista no atendimento às lojas virtuais, aplica as melhores práticas e todo seu conhecimento logístico para atender ao complexo e exigente mercado do varejo eletrônico.

Sede: Jundiaí/SP

Filiais: Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Espírito Santo, Tocantins e Pará.

Atende a todos os estados onde possui matriz e filiais e o estado de Santa Catarina.

Site: https://nowlogistica.com/

Principais serviços:

  • Carga fracionada;
  • Especialista em atendimento às pequenas encomendas;
  • Expert no atendimento de lojas virtuais, televendas e vendas por catálogos;
  • Rastreamento.

TSV

Tendo a qualidade como meta, a TSV investe pesado em treinamento de pessoal e tecnologia, recebendo premiações pelo seu desempenho, e obtendo certificações importantes junto aos órgãos federais.

São milhares de caminhões e estruturas prontas para levar sua carga ao local de destino com qualidade, profissionalismo e rapidez.

Sede: Goiânia/GO

Filiais: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Distrito Federal, Tocantins.

Atende a todos os estados onde possui matriz e filiais.

Site: http://www.tsvtransportes.com.br/

Principais serviços:

  • Carga fracionada;
  • Carga lotação;
  • Rastreamento.

Empresas sérias e comprometidas, como as apresentadas nesse post, podem ser encontradas na plataforma da CARGOBR, desenvolvida com o objetivo de oferecer as melhores opções de transporte para o seu negócio.

Acesse agora a plataforma e faça uma cotação gratuita.