3 principais riscos para a sua carga e como preveni-los

Um famoso conto de fadas narra a história de uma menina que precisava levar doces para a avozinha doente. Para chegar ao seu destino, porém, era necessário atravessar uma floresta, arriscando ser atacada por um malvado lobo.

É mais ou menos como a personagem central desse clássico literário que nos sentimos toda vez que despachamos uma carga e tudo o que desejamos é que ela chegue sã e salva ao seu destino.

O final da história infantil nós já conhecemos, agora é hora de saber quais são e como podemos nos prevenir dos 3 principais riscos que envolvem o transporte de cargas.

1. Falha humana

Especialistas em segurança apontam três fatores que podem ocasionar graves problemas no transporte de materiais: imprudência, imperícia e negligência .

O excesso de confiança no trabalho que executa pode levar à imprudência do funcionário, como deixar de executar alguma medida de segurança ou fazer algo que ainda não tem conhecimento para executar – distribuir a carga inadequadamente, pode levar ao tombamento do caminhão.

A imperícia está relacionada à falta de habilidade do trabalhador em realizar determinada tarefa, e no caso de transportes, pode ocasionar acidentes.

Uma das situações mais comuns é a negligência, gerada pela falta de atenção. Um exemplo é a colocação de uma caixa sobre a pilha sem a devida amarração, ocasionando a queda quando o veículo se movimentar.

Nesses casos, a única maneira de prevenir é contratar colaboradores experientes ou capacitar os que estão começando, lembrando que as reciclagens devem fazer parte da rotina de toda empresa.

2. Roubo de Cargas

Desde às época mais remotas, o roubo de cargas existe e aterroriza quem precisa despachar seus produtos. No Brasil, essa prática é comum e atinge todas as regiões, causando grandes prejuízos.

Infelizmente a grande incidência desses crimes acarreta aumento no valor do frete e pode até mesmo impedir que muitas transportadoras façam entrega em alguns lugares do país. Alguns cuidados simples, contudo, podem diminuir a chance desses imprevistos:

2.1 – Planejar Rotas

O planejamento prévio de rotas impede o motorista de trafegar por locais desconhecidos ou onde há maior número de assaltos. Além disso, é importante que as empresas mantenham comunicação constante com os motoristas, prevenindo ou auxiliando, se houver algum tipo de ocorrência.

Treinamentos sobre situações de risco, medidas emergenciais e preventivas devem ser uma constante para preservar a vida do motorista e a integridade do caminhão e da carga.

2.2 – Programar paradas

Momentos de abastecer o veículo, usar o banheiro ou se alimentar podem ser perigosos, dependendo do local e horário. O ideal é que as paradas sejam feitas com planejamento, em local seguro e com acompanhamento da empresa.

2.3 – Evitar viagens noturnas

O tráfego noturno é muito mais perigoso por ter menos carros, menos iluminação, e menor quantidade de policiais. Sempre que possível, a empresa deve optar pela viagem à luz do dia.

2.4 – Usar rastreadores

O uso de rastreadores permite múltiplos benefícios. Começa pela gestão completa dos processos de transporte, incluindo detalhes como horário da entrega e identificação da pessoa que recebeu a encomenda.

Também possibilita acompanhar o percurso do caminhão, avisando sempre que sair da rota planejada e localizando o veículo e a carga, diminuindo a possibilidade de extravio de produtos.

Para quem vai utilizar o serviço, a melhor opção ainda é pesquisar a transportadora e entender quais medidas ela toma para se proteger contra o roubo de cargas.

3. Avarias nos produtos

Carga embalada de forma equivocada é um dos principais motivos para avarias e prejuízos. Pela importância desse tema a CARGOBR elaborou um roteiro completo sobre como embalar adequadamente cada produto a ser transportado. Vale a pena conferir!

Pelo conhecimento e experiência adquiridos na área de logística, a CARGOBR possui muitos outros materiais relacionados ao transporte de cargas. Visite nosso blog e fique por dentro, começando por nossa dica perdas durante o transporte de cargas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *