Remoldados, recapados e recauchutados

|
publicado: 7/01/2014
stockvault-stack-of-tires110924

Pneus, para empresas de carga e transportes e também caminhoneiros independentes, são itens de desgaste que devem estar previstos em seus orçamentos – o gasto não é pequeno e, não raramente, pode ser minimizado com o uso de pneus recuperados ou reformados… mas vale lembrar que, às vezes, o barato sai caro. No Brasil, trabalhamos com três tipos de pneus recuperados ou reformados: os remoldados, os recauchutados e os recapados. Os três possuem vantagens e desvantagens em relação à vida útil, emprego no caminhão e, principalmente, preços.

Além da economia para o caminhoneiro, o uso de pneus recuperados utiliza, em média, apenas 20% do volume de borracha e material utilizado em pneus novos, segundo estimativa da Associação Brasileira do Segmento de Reforma de Pneus (ABR). Isso proporciona também ganhos ambientais, uma vez que pneus descartados são em geral um enorme problema como resíduo, e também exigem grandes espaços para seu armazenamento ou processamento. Em relação ao custo, a ABR afirma que um pneu reformado que possua rendimento semelhante ao item novo custa, em média, 73% menos ao caminhoneiro ou frotista.

Para o segmento de veículos de carga e transporte (incluindo ônibus) reformadores e empresas de remolde produzem cerca de 9 milhões de pneus anualmente no Brasil, que segundo a ABR é o segundo maior mercado para o item no mundo, apenas atrás dos EUA.

Melhoria gradual

Os três processos de recuperação e reforma de pneus existentes no mercado brasileiro possuem um avanço gradual, partindo do pneu recapado até chegar no remoldado. No caso do segmento de caminhões e ônibus, há diversos fabricantes de bandas, parte do pneu que fica em contato com a superfície da pista. Essas peças de borracha são empregadas então por reformadores diversos no processo de recuperação dos pneus. Dentre os principais fabricantes de bandas no Brasil estão a Vipal, a Tipler e a Drebor. Quanto aos três processos, cada um possui sua particularidade:

  • Pneus recapados – ocorre apenas a substituição da banda de rodagem, superfície de contato direto com a pista, do pneu desgastado ou avariado;
  • Pneus recauchutados – além da banda, também são recuperados ou substituídos os “ombros” do pneu (parte externa entre a banda de rodagem e seu flanco, parte lateral do pneu);
  • Pneus remoldados – no processo de remolde, o mais sofisticado dos três, são substuídos a banda e os ombros, mas também todo o flanco dos pneus, ou suas laterais. O pneu remoldado é o que, de fato, possui vida útil mais próxima do item novo.

Nos três tipos, o processo começa com a raspagem das camadas de borracha avariada a serem substituídas – o chamado ‘buffering’. Posteriormente, as novas peças de borracha são amalgamadas ao pneus em um processo a quente (embora na recapagem a banda possa ser apenas colada, no chamado processo a frio).

2 comentários

  1. Marcio souza

    13/03/2017 as 00:31

    boa noite serque vcs podem me ajudar gostaria de fazer cirso de fabricaçao de remold

  2. Marcio souza

    13/03/2017 as 00:32

    gostaria de saber si vc sabem aonde posso fazer um curso de fabricaçao de peneus remold

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>