Mudança de regras no envio de livros pelos Correios.

Você já comprou livros online? Ou enviou um livro para alguém? A partir de hoje (1º de setembro) comprar livros ou enviá-los pelos Correios ficará mais caro, confira as mudanças.

O que muda?

Os Correios proibiram a postagem de livros como mala direta, modalidade mais barata para o envio de livros, encomendas de até um kg saiam, por exemplo, por R$ 6,31, independente da distância do envio. Em contra partida, agora é permitido o uso do registro módico, que possibilita o rastreamento das encomendas cobrando 50% do valor do registro comum, que é R$ 4,30.

Depois da mala direta a opção mais barata de envio é o impresso (que também não tem diferença de valor independente da distância), porém os Correios restringiram o volume permitido para envio, passando dos 20kgs à 500g. Se você precisar enviar um livro que tenha mais de 500g precisará optar pelo PAC ou pelo SEDEX e é nessa modalidade que o serviço quase triplica de valor.

Não entendeu? Vamos à prática.

Com as regras antigas dos Correios você enviaria um livro de até 499g, para qualquer lugar do Brasil por uma taxa de R$ 3,67 de mala direta e se optar pelo registro pagaria mais R$ 4,30, totalizando R$ 7,97.

Agora, para envios até 499g, você pagará R$ 5,40 de taxa de impresso e se optar pelo registro módico (aquele que tem 50% do valor do registro comum) pagará R$ 2,15, totalizando R$ 7,55.

Para livros de até 499g ficou mais barato o envio, mas normalmente ninguém compra só um livro pela internet, certo? Vamos simular agora o envio com até 999g que são três livros de 328 páginas:

Com as regras antigas: R$ 6,31 de mala direta e se optar pelo registro R$ 4,30, totalizando R$ 10,61. Com as novas regras você precisará enviar ou por PAC ou por SEDEX, se o envio por de São Paulo ao Rio de Janeiro por PAC pagará R$ 18,30 mais R$ 2,15 se optar pelo registro módico, totalizando R$ 20,45, e por SEDEX a taxa é de R$ 28,10 e se optar pelo registro módico, que tem o mesmo preço independente de ser PAC ou SEDEX, totalizará R$ 30,25. O preço praticamente triplicou.

O que dizem os Correios?

Os Correios alegam que a menção da palavra livros, nos contratos de mala direta se referia a periódicos, o termo será excluído dos contratos futuros para que não haja interpretações equivocadas.

Afirmam ainda, que o serviço era utilizado para envio de remessa de livros, o que causava um desequilíbrio na estrutura de preços e na cobertura dos custos.

Ficou com alguma dúvida? Conte com a CARGOBR.

admin
thiago.paim@cargobr.com
2 Comentários
  • Fim do e-SEDEX, e agora? - Blog CARGOBR
    Posted at 19:40h, 08 dezembro Responder

    […] começo de novembro, anunciamos as mudanças de regras no envio de livros pelos Correios. Essas mudanças foram motivadas, segundo os Correios, pelo desequilíbrio na estrutura de preços […]

  • isabela
    Posted at 02:02h, 20 janeiro Responder

    Olá, adorei o site, pode me ajudar a calcular o valor para enviar o Livro “O Alquimista” de Uberlândia MG a Rio de Janeiro capital? O livro tem 176 pag. Desde já muito obrigada!

Postar Comentário