Mobilidade urbana – e o transportador?

Soluções de mobilidade urbana estão no topo da lista de preocupações das diversas esferas governamentais no país – além de críticas costumeiras em relação aos gargalos logísticos do país, cobranças da população deverão levar soluções adotadas hoje apenas em grandes capitais, como rodízios, restrições de circulação, faixas e vias exclusivas, entre outros, a cidades de médio e até pequeno porte. Para transportadoras e empresas de carga, a proliferação dessas medidas pode significar a necessidade de uma frota maior e mais variada (incluindo VUCs, utilitários e até mesmo parcerias com serviços de courier e entrega locais); para caminhoneiros, a falta de planejamento pode causar viagens frustradas, atrasos e trajetos imprevistos.

Com base no que já temos em grandes metrópoles, deixamos aqui algumas dicas, tanto para operadores de carga quanto para profissionais independentes:

  • Ao fechar novo contrato ou incluir nova rota de atendimento, vale estudar com boa antecipação possíveis restrições de horário e dias da semana para a circulação de veículos de qualquer porte ou tamanho;
  • Para transportadoras, é melhor sempre dispor de um número de veículos equilibrado para diferentes finais de emplacamento;
  • Tenha sempre à mão calendários de entrada em vigor de restrições de trânsito e também normas de emissão ambiental, de preferência catalogadas por município e estado;
  • Sempre fique atento em relação a datas comemorativas e feriados, ainda que esses sejam apenas em âmbito regional;
  • No caso de cargas menores, fracionadas ou mesmo rotas não usuais, nas quais normas e regras de circulação não são conhecidas, o melhor é terceirizar, formar parcerias ou, é claro, conhecer a plataforma da CargoBR.

Tendência

Apesar do rodízio de veículos de passeio ser um velho conhecido do paulistano, as normas para circulação de caminhões no centro expandido são relativamente novas – mas estão encabeçando uma tendência. Cidades da Grande São Paulo já adotam horários e políticas de restrição ao trânsito de carga e o cerco deve apertar, com direito a multas e outras sanções. Mesmo em estradas, a exemplo do que já ocorre há décadas na Rodovia dos Imigrantes, a proibição para caminhões de maior porte e carretas em horários e datas específicos vem se tornando cada vez mais comum.

O calendário de restrições de trânsito rodoviário de carga também tem boas chances de ser estendido nos próximos anos, em especial durante a realização de eventos internacionais, como a Copa do Mundo.

admin
thiago.paim@cargobr.com
Sem Comentários

Postar Comentário