Logística Reversa – Uma abordagem sustentável

Entenda um pouco mais sobre a logística reversa, assunto que é tendência para os próximos anos

Você sabe o que é logística reversa? Nos dias de hoje, a produção mundial de bens de consumo aumenta gradativamente ano após ano, e isso se traduz numa quantidade de lixo cada vez maior, sem falar na enorme quantidade de produtos e componentes que precisam voltar à sua origem. Essa rota de produtos no sentido contrário da cadeia de produção normal (dos clientes para as indústrias) precisa ser tratada adequadamente para evitar trabalho e custos extras.

A logística reversa é o processo responsável por este fluxo reverso de produtos, qual seja o motivo: reciclagem, reuso, recall, devoluções, etc. A importância deste processo é devido a dois motivos: 1- as regulamentações, que exigem o tratamento de alguns produtos após seu uso (por exemplo, baterias de celulares e embalagens de agrotóxicos); 2- a possibilidade de agregar valor ao que seria descartado.

Além de contribuir para reduzir os impactos ao meio ambiente, há um ganho de imagem para a empresa que o faz. Exemplos de reciclagem que já são práticas comuns: latas de alumínio, garrafas pet, papel/papelão, entre outros itens de pós-consumo.

Por que pensar em logística reversa?

Comumente, são três os fatores que impulsionam o retorno de produtos: consciência cada vez maior da população para a necessidade de reciclar e de se preocupar com o meio ambiente; melhorias tecnológicas capazes de reaproveitar componentes e possibilitar o aumento da reciclagem; questões legais – quando a legislação obriga que as empresas recolham e dêem destino apropriado aos produtos após seu uso.

Pelo lado das empresas, é preciso pensar na parte operacional do processo. Nos locais de armazenagem faz-se necessário estruturar os sistemas capazes de lidar com esses volumes altos e imprevisíveis. Além disso, assim como a logística comum, a logística reversa possui como um dos principais componentes os sistemas de fretes. É mandatório que os sistemas de roteamento sejam capazes de resolver os complexos problemas de entregas e coletas das cargas ao mesmo tempo, levando em conta, dentre outras restrições, as capacidades dos caminhões e os intervalos de tempo.

Portanto, faz-se necessário planejar estrategicamente os sistemas internos (gerenciamento de estoques, sistemas de informação, espaço físico) e externos (transporte e relacionamento com clientes), com o intuito de aproveitar este novo mercado, atraindo e fidelizando clientes com mais uma opção de serviço pós-venda.

admin
thiago.paim@cargobr.com
1Comentário
  • Marcos Corrêa
    Posted at 18:53h, 29 junho Responder

    Boa tarde, compramos computadores fora de uso e outros itens
    grato
    Marcos

Postar Comentário