Falta de água também afeta bolsos no transporte

|
publicado: 27/01/2015
Falta de Água Transporte

Falta de água também afeta bolsos no transporte

Teoricamente, falta de água nada tem a ver com o setor de logística e transporte, certo? Mais ou menos… Especialmente no estado de São Paulo, o governo local deverá manter fora de operação o transporte de cargas através da hidrovia Tietê-Paraná. Embora a notícia não afete diretamente você, um usuário de transportes na área de carga fracionada, os preços do frete em geral deverão sofrer novo inflacionamento com a notícia.

A verdade é que, com a maior demanda pelo transporte de cargas e graneis que seriam movimentados pela hidrovia, menos caminhões e motoristas estarão à disposição do segmento de carga fracionada – o resultado é um só: aumentos.

Como evitar a alta

Difícil, mas não impossível. Para quem usa serviços de transporte com uma frequência mais ou menos fixa e previsível, a saída pode ser fechar um contrato com preços fixos, já no começo do ano. Para embarcadores eventuais, pesquisar é a palavra, e a busca e cotação online, como a que a CARGOBR oferece, pode evitar mais gastos ao longo de um ano que já promete ser problemático.

A crise de água está afetando indiretamente a todos os setores e, mesmo que ele se resolva ao longo do primeiro trimestre, a demanda da safra e da safrinha, mais à frente em 2015, deve segurar os preços do frete em alta durante boa parte do ano. O bom negócio mesmo é encontrar fornecedores que possam compensar, com descontos, a possível alta nos preços do transporte, e seguir com eles, criando um bom e duradouro relacionamento nesses tempos de crise.

Combustíveis e logística

A alta nos combustíveis é outro fator que servirá como um driver de alta para o frete ao longo deste ano. Com sérias dificuldades, endividamento, escândalos de corrupção e preços defasados, a Petrobras provavelmente terá de fazer mais ajustes ainda nos preços do diesel e outros derivados durante o ano – má notícia para empresas de logística e seus clientes.

Novamente, a única saída do embarcador será encontrar fornecedores e transportadoras com melhores ofertas de preço e também esboçar contratos de longo prazo, já que os fatores que levarão aos aumentos do frete de imediato não poderão ser contidos pelo segmento de logística. Alguns diriam que resta esperar, mas se você prefere não pagar a conta sozinho, comece a cavocar uma solução agora mesmo.

banner

 

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>