Condomínio logístico – entenda mais

|
publicado: 24/06/2014
condominio-logistico

O condomínio logístico é figura cada vez mais presente no Brasil

A profissionalização e expansão da logística no Brasil criou uma nova figura no setor imobiliário, o condomínio logístico. Não foi apenas o segmento residencial e de escritórios que passou por um “boom” nos últimos anos, também o investimento em áreas para instalações de apoio e manuseio de cargas cresceu exponencialmente no país ao longo dos últimos 10 anos. Polos industriais e centros de produção, desde a década de 1990, começaram a se mover para longe dos centros urbanos e, muitas vezes, para pontos mais distantes dos terminais de escoamento e embarque da produção, como aeroportos, portos e terminais intermodais.

Com isso, surgiu a necessidade de implantar pontos de recebimento e processamento de mercadorias. Passou-se a investir em áreas contíguas a esses canais de distribuição, de modo a acomodar produtos que venham desses centros de produção longínquos, para eventual despacho. O mercado imobiliário parece ter dado uma “amansada” ultimamente, mas no setor logístico, o estoque de áreas de armazenagem ainda é bastante deficitário e cerca de 30 vezes menor que o existente em países como os Estados Unidos.

Do mesmo modo que ocorreu com os polos industriais, então, empresas de carga e braços logísticos de grandes empresas vêm se instalando em áreas comuns de armazenagem e proliferação de galpões – os chamados condomínios logísticos. As vantagens de instalar vários galpões em uma área comum são diversas:

  • Aumento da segurança e redução de despesas com escoltas, vigias e monitoramento;
  • Construção de áreas comuns de apoio, entre elas restaurantes, hotéis, ambulatórios e áreas de treinamento;
  • Redução dos custos com aquisição de terrenos;
  • Rateio dos custos de manutenção das áreas;
  • Facilidade de expansão em lotes.

Os condomínios podem ser desenvolvidos para atendimento a uma única empresa, com possibilidades de expansão, e em módulos e lotes a serem alugados ou arrendados por diversos operadores distintos. Nesse último caso, geralmente esses condomínios são administrados e explorados por incorporadoras imobiliárias e funcionam de modo muito similar a outros empreendimentos.

Há também tipos específicos de condomínio, geralmente de acordo com as empresas que os utilizarão. Um condomínio pode ser preparado exclusivamente para armazéns, com um raciocínio de projeto em módulos que possam receber porta-paletes e outros equipamentos utilizados na armazenagem. Também podem ser projetados para o cross-docking, prevendo apenas a movimentação de carga, mas não sua estocagem. Um tipo misto congrega possibilidades para os dois tipos anteriores e, finalmente, pode ser industrial, flexível e programado para a utilização por indústrias de diversos segmentos.

A maior parte dos condomínios logísticos desenvolvidos no país ainda se encontra na Região Sudeste, até por razões óbvias de escoamento, mas também tem havido grande crescimento em outras regiões, com o aumento do tráfego de cargas em portos das regiões Nordeste e Sul, e também projetos rodoviários e ferroviários cruzando o Centro-Oeste e Norte.

Na ponta do lápis

Centros urbanos e capitais ainda são os favoritos para investidores em condomínios logísticos, mas a conta deve ser feita com cuidado. Os terrenos nessas regiões ainda se encontram inflacionados, e mesmo havendo enorme demanda por áreas de movimentação, muitos locais não oferecem retorno suficiente para investidores na hora de alugar ou arrendar. Com isso, cidades vizinhas aos principais centros têm recebido um grande volume de condomínios e projetos nesse segmento.

 

2 comentários

  1. João Carlos Fernandes

    19/06/2015 as 21:47

    Apesar do momento econômico ruim, há uma demanda reprimida por espaços em condomínios logísticos. Estes empreendimentos serão uma tendencia cada vez mais procurados, impulsionados principalmente pelo E-Comerce.

  2. João Carlos Fernandes

    22/06/2015 as 09:25

    Mesmo com a economia patinando em 2015, eu acredito que o mercado de condomínios logísticos tende a crescer. Nossa economia é muito maior que a do México. Acontece que o mercado mexicano, se comparado ao Brasileiro, apresenta em m2 de ABL, um número superior a cinco vez ao nosso.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>