A importância do clima no segmento do transporte

|
publicado: 2/09/2014
stockvault-waterdrops-on-window134615

O Clima no transporte

As chuvas podem até ser, atualmente, uma boa notícia para as regiões cujos reservatórios se encontram em estado calamitoso de estiagem, mas para o segmento de transportes em geral, não é algo benvindo.

Em aeroportos, rodovias e mesmo ferrovias e portos, chuvas pesadas e condições climáticas desafiadoras são sempre um entrave para se manter em dia o cronograma. As operadoras e empresas de transportes trabalham com medidas contingenciais para esses casos, mas o proprietário da carga também deve, sempre que for possível, tentar trabalhar com folga e prazos seguros para evitar perdas e prejuízos decorrentes de fenômenos climáticos.

Medida simples

Uma medida simples e eficaz, para tentar contornar alguns dos problemas com chuvas, é acompanhar previsões meteorológicas com frequência. Isso permite reorganizar prazos e datas, acionando medidas de emergência quando necessário. No caso do frete aéreo, é sempre bom monitorar as condições em aeroportos, assim como notícias de aberturas e fechamentos de pistas, para antecipar atrasos e avisar clientes a respeito de problemas.

No caso do frete rodoviário, a situação pode ser ainda pior – algumas estradas brasileiras, principalmente as muitas rodovias não asfaltadas, permanecem alagadas e sujeitas a deslizamentos em algumas épocas do ano. Não há muito como contornar o problema em algumas rotas e, nesses casos, a principal dica é jogar limpo com a clientela, avisando e alertando de forma transparente para os riscos e possíveis atrasos.

Seguro morreu de velho

Mas ainda assim, toda a carga deve ser segurada também contra intempéries desse tipo. No segmento rodoviário, há ainda algumas atitudes e rotinas que podem reduzir as perdas e atrasos em épocas de chuvas torrenciais.

  • Carrocerias, baús e semirreboques devem ter sempre suas vedações bem checadas. Tente realizar avaliações profundas em busca de infiltrações, especialmente quando se lida com alimentos ou cargas que possam apodrecer com a umidade. As perdas nesses casos costumam ser enormes, isso quando não envolvem a totalidade da carga.
  • Mantenha seus profissionais sempre acessíveis ao rádio e instrua-os para compartilhar informações, tanto com a central como entre eles. Simples avisos de caminhoneiros a respeito de enchentes e alagamentos em algumas rotas podem evitar boa parte das situações de exposição aos riscos da chuva.
  • Os seguros contratados para a carga e caminhões devem possuir cobertura para danos e perdas decorrentes de chuvas e enchentes – tanto para a carga quanto para o veículo.
  • Além da carroceria, as embalagens dos produtos transportados também devem estar bem vedadas e acondicionadas. No caso de embalagens parcialmente danificadas, estabeleça rotinas para reforçá-las e substituí-las antes do transporte.
  • Mantenha mapeamentos e calendários que possam levar sua empresa a evitar determinados trechos e regiões em épocas do ano sabidamente problemáticas. Às vezes, passar para o cliente prazos maiores e mais alongados pode até resultar na perda de um contrato ou serviço, mas reforçará no longo prazo a relação de confiança e eficiência.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>