Frete e e-commerce – uma equação perigosa

Quem tem um e-commerce ou uma loja online precisa diariamente conviver com os custos de frete para clientes e o impacto que isso possui em seu negócio. Excelentes margens de lucro podem ser achatadas ou até sumir, caso você não realize os cálculos da maneira correta. Há diversos casos nos quais o frete acaba sendo usada como vantagem comercial sobre a concorrência, mas isso pode ser uma faca de dois gumes…

Cuidado com o frete grátis no e-commerce

O frete grátis é uma prática comum entre lojas online mais fortes para atrair clientes, mas em alguns casos ele pode sumir completamente com a margem em alguns produtos. As vendas podem aumentar, mas isso pode gerar um problema ainda maior: se você vende com prejuízo, quanto mais vender, pior será. Além disso, ao colocar promoções sem cobrança de frete, você acaba acostumando “mal” seu cliente. Ele passa a esperar o benefício de forma automática e, quando você se vê obrigado a cortar o desconto, acaba perdendo a clientela. O e-commerce é uma atividade que exige que cálculos sejam bem feitos – o menor erro pode botar tudo a perder.

Outra: a possibilidade de frete grátis exige que seu cliente possua um tíquete-médio alto. Se você tem uma loja que vende produtos e artigos de pouco valor agregado, eximir o cliente do frete significa que, às vezes, você estará pagando pelo transporte quase o mesmo que o cliente pagou pelo produto! Um absurdo que apenas o e-commerce pode criar para você. A melhor política, em todos os casos dentro de um sistema de e-commerce, é calcular tudo no lápis, e se possível produto por produto.

Transportadoras especializadas

Muitos utilizam a solução dos Correios específica para e-commerce. Ela funciona, mas depende do que você irá transportar e em que volume. Algumas transportadoras possuem, contudo, políticas e produtos específicos para o segmento, muitas delas inclusive podem ser contratadas por meio do sistema de cotação de fretes da CargoBR. Um fornecedor especializado entende as necessidades e desafios particulares do segmento de e-commerce, e poderá ajudá-lo a calcular e dimensionar melhor seu negócio.

Políticas por região

O próprio frete grátis pode ser uma boa, assim como o uso de modais eventualmente mais caros, como o aéreo – tudo depende de “pra onde” você irá embarcar. Varie fornecedores e estude possibilidades de forma regional: cada rota e região precisa receber atenção distinta, para que no final de tudo você possa usufruir de lucros ao embarcar qualquer produtos e para qualquer região.

O peso não é nada – a cubagem é tudo

A cubagem é um dos fatores mais importantes no mercado logístico atual – seu cálculo e a forma com que você deve proceder para chegar à cubagem do seu material já foi abordada por aqui. Contudo, apesar de sempre termos de descrever o peso da carga, por questões técnicas, o fato é que a cubagem, que tem muito mais a ver com as dimensões de um produto, é muito mais determinante no custo de um serviço de carga fracionada.

A razão é muito simples, apesar de sermos levados a crer que o peso tem uma importância maior, se considerarmos nossas visitas a agências dos Correios.

Pense como no “Lego”

Isso mesmo. Imagine que você possui uma determinada carga. O caminhão que a transportará possui um espaço retangular, de dimensões pré-determinadas. Para que sua carga, ou sua “peça”, encaixe melhor no restante das peças que estarão nesse mesmo veículo, ela precisa estar reduzida a cubos ou paralelepípedos. E quanto ao peso?

É claro que mercadorias pesadas demais possuem um custo maior de transporte, mas de um modo geral, é muito mais comum que transportemos cargas relativamente leves que ocupam enormes dimensões do que o inverso. Por isso mesmo, empresas trabalharam ao longo das últimas décadas para reduzir os tamanhos de embalagens, aproveitando muito melhor o volume dentro de caixas e reduzindo os “vazios”. Afinal, quando embarcam a mercadoria, as empresas estão pagando também por esse espaço inutilizado.

A matemática é simples – quanto menor o espaço cubado ocupado, mais produtos irão ser acomodados em um mesmo espaço – o baú de caminhões, nesse caso. Nesse ponto, a cubagem é a unidade que permite a você colocar caixas e volumes como se fossem peças de Lego, otimizando o transporte, carregando de forma mais eficiente e reduzindo custos de forma considerável.

Corrigindo desperdícios

Por outro lado, o chamado “peso cubado” – resultado final do cálculo de cubagem – tem uma função muito mais simples. Imagine se, montando seu “Lego” dentro de um caminhão, você ocupasse todo o espaço com caixas de produtos em isopor ou algodão. As transportadoras, que usam o peso para calcular os fretes, estariam perdendo rios de dinheiro. Contudo, a cubagem estabelece um peso padrão conforme as dimensões fornecidas por você. Mesmo que uma caixa de um metro cúbico pese apenas 40kg, o que faria com que seu transporte simplesmente não valesse a pena para a transportadora, quando suas dimensões são “cubadas”, o peso passa a ser de 300kg, para efeitos de cálculo e custos.

Não é injusto para o embarcador, que realmente está utilizando um enorme espaço de transporte, mas também remunera com justiça o transportador, que poderia estar carregando um peso muito maior nesse mesmo espaço. É claro que o contrário também pode ocorrer – cargas muito pesadas, mas de dimensões reduzidas, acabam revertendo em vantagens para o cliente. A cubagem, acima de tudo, é um modo de padronizar o peso, uma variável em cargas, e alinhá-lo com o espaço, que sempre é fixo.

 

 

Por que o preço do frete varia tanto?

O preço do frete parece algo impossível de prever – um mesmo destino e carga costuma apresentar cotações que podem variar em mais de 300% de uma transportadora para outra. Tudo isso faz o cliente ou embarcador inexperiente achar que os valores são simplesmente “chutados”. Embora isso possa ocorrer algumas vezes, o fato é que algumas explicações bastante coerentes sobre as grandes diferenças no preço do frete, quando você está cotando uma operação. Entenda um pouco mais sobre as causas dessa enorme discrepância.

Uma série de fatores podem levar a brutais diferenças no preço do frete, mesmo com transportadoras que possuam tamanho e área de atuação semelhantes:

  • Veículos utilizados. Tamanho e porte dos veículos, idade média da frota, disponibilidade de veículos, uso de motoristas próprios ou agregados, etc.
  • Taxas e extras. Algumas transportadoras eximem o cliente da cobrança de extras por tamanho da remessa, dimensões da mercadorias, dificuldade na coleta e na entrega, entre outros. Em outros casos, essas taxas acabam incluídas nos preços finais do frete colocado ao cliente, elevando consideravelmente esse valores.
  • Área de atuação. Rotas como Rio-SP são comuns e realizadas pela grande maioria das transportadoras. Contudo, enquanto que algumas já realizam viagens de forma regular, outras apenas fazem viagens nessa rota quando há serviço, e portanto acabam cobrando mais caro.
  • Insumos. Algumas transportadoras são mais sensíveis aos preços dos insumos, como reajustes em combustíveis, pneus, óleos lubrificantes, entre outros, e acabam repassando esses valores ao cliente.
  • Mão-de-obra. Há sindicatos e acordos com caminhoneiros que podem diferir de estado para estado. Além disso, há diferenças nos ganhos entre caminhoneiros independentes ou agregados e aqueles contratados diretamente por transportadoras.
  • Lucro. É claro, há transportadoras dispostas a abrir parte de sua margem de lucro em favor de novos clientes ou negócios, mas outras operam com margens de lucro maiores. A diferença aí vai de direção para direção – estamos em um mercado livre e cada um pode negociar seu preço da maneira que considerar mais vantajosa.

A importância das médias

Até por conta dessa enorme variação, é importante que você sempre esteja ciente das médias de preço do frete para cada região com a qual você trabalha, ou pelo menos para as rotas e operações mais comuns. Além de tomar nota de todas as cotações que você fizer, é possível conseguir preços de diversas transportadoras simultaneamente e em tempo real, utilizando a ferramenta de cotação da CargoBR. Basta cadastrar sua carga e, em alguns segundos, o sistema mostrará para você cotações aproximadas de diversas transportadoras que operam a rota que você precisa, com os volumes e características da carga que você cadastrou.

Como Identificar Tendências de Alta nos Fretes

Uma série de variáveis pode influir no preço dos fretes – algumas delas criam altas que impactam em todo o setor de transportes, mas outras afetam apenas determinados mercados e regiões. Como cliente de transportadoras, é importante que você saiba identificar e antecipar aumentos ou reajustes, o que permite a você fechar negócios com antecedência ou, na curva de baixa, postergar embarques para reduzir custos de transporte.

Uma alta nos fretes é algo que, em geral, não está vinculado apenas a movimentos de aumento e redução de demanda ou oferta. Principalmente os custos das transportadoras possuem um impacto direto e geralmente automaticamente repassado aos clientes e embarcadores. Épocas com maior demanda por caminhões e navios obviamente apresentam preços maiores nos fretes de um modo generalizado, mas esses movimentos geralmente são sazonais ou indicados pelo desempenho de outros setores. O que você precisa é rastrear itens que afetem preços e causem alta nos fretes. Dentre esses “drivers”, podemos destacar:

  • Combustíveis e derivados do petróleo.
  • Pneus e bandas de borracha.
  • Tarifas de pedágio e outros custos de circulação.
  • Dissídios e reajustes para caminhoneiros.
  • Reformas e recapeamento em rodovias.
  • Impostos e contribuições.

Cada um desses itens incide nos preços futuros dos fretes. Uma alta nos fretes, de qualquer modo, está geralmente associada a pelo menos um, senão todos os itens acima. Vamos entender o porquê disso.

Tempo de realização

É claro, as consequências de mudanças nos preços e custos decorrentes desses itens não necessariamente causam um impacto imediato nos preços dos fretes. Contudo, o prazo de realização desses custos varia e é preciso que você tenha uma ideia aproximada de quando os impactos de qualquer variação irão, de fato, refletir em uma alta nos fretes.

Tarifas de pedágio e aumentos nos preços dos combustíveis geralmente causam um impacto mais rápido. Esses reajustes estão ligados a despesas das transportadoras que são pagas à vista, e portanto modificam seus custos assim que sofrem qualquer reajuste ou baixa. Notícias sobre possíveis aumentos nos preços do diesel, óleo lubrificante, gasolina e também pedágios devem ser lidas com atenção – sempre há alguma influência nos fretes e, mesmo no caso de uma redução, acompanhar tais notícias é algo que lhe dá margem de barganha.

Por outro lado, dissídios e reajustes de categorias estão atrelados a convenções coletivas – isso leva tempo e tende a ocorrer em uma mesma época do ano. O impacto nos preços dos fretes não é imediato, mas pode ser previsto e negociado com base no tamanho do reajuste. O mesmo se dá com impostos e contribuições. Modificações tributárias são comunicadas com alguma antecedência e possuem um tempo de aplicação – além disso, impostos não são despesas de pagamento à vista.

Por fim, obras de recapeamento e manutenção de rodovias elevam, por conta do trânsito e paralisações, o número de horas pagas a caminhoneiros. A transportadora tende a repassar esse custo adicional, portanto esteja ciente das obras e interrupções em rodovias ao planejar sua carga.

banner

 

Atrasos no frete e relacionamento com clientes

Atrasos no setor de transportes são, infelizmente, mais comuns do que gostaríamos. Muitas vezes um produto entregue em uma data errada ou problemas no decorrer do frete não são culpa do embarcador e nem mesmo da transportadora, ainda assim, atrasos no frete precisam ser geridos e clientes têm de receber alguma satisfação. Lidar com atrasos no frete é uma arte – muitas vezes você se depara com clientes difíceis, que não admitem erros, mas na maioria dos casos, com um pouco de bom atendimento e cordialidade, demoras são toleradas.

Em primeiro lugar, esteja ciente: toda operação de transporte pode atrasar. Os motivos para que isso ocorra são inúmeros e alguns deles estão fora de alcance em termos de soluções rápidas:

  • Greves e paralisações.
  • Fiscalizações e retenções de produtos.
  • Acidentes e sinistros.
  • Trânsito e problemas de tráfego em rodovias.

Prevenir é melhor do que remediar

O chavão é manjado, mas continua sendo uma verdade. Em termos de atrasos no frete, a melhor maneira de atacar o problema é tomar medidas de contenção antes mesmo que tais situações ocorram. Para greves e paralisações, sindicatos geralmente anunciam datas com antecedência, de modo que você pode alertar seus clientes antes mesmo do embarque a respeito de possíveis atrasos.

Com fiscalizações e retenções, a melhor saída é produzir documentos completos, com todas as informações referentes à operação e ao produto, de modo a evitar que fiscais paralisem sua mercadoria para checagens. Retenções ainda podem ocorrer, mas a liberação, assim mesmo, tende a ser mais rápida quando toda a documentação está em ordem.

Para acidentes e sinistros, sempre há como recorrer ao seguro da carga. Quando a operação está segurada, você pode acionar apólices ao mesmo tempo em que avisa seu cliente e prepara uma nova remessa para atendê-lo. Seja honesto com seu cliente e informe a natureza do sinistro, dizendo em seguida que um novo produto está sendo embarcado. Vivemos em um país de estradas perigosas, tanto em termos de assaltos quanto de acidentes, e clientes tendem a ser compreensivos nesse caso.

Finalmente, o trânsito atrapalha, mas em geral leva a atrasos menores. Não invente – diga a seu cliente diretamente que a carga irá demorar mais um ou dois dias além do previsto em razão de congestionamentos nas rotas selecionadas.

Sendo honesto com o cliente

Crie padrões de atendimento no caso de atrasos no frete. Informe ao seu cliente, antes da operação, a respeito de todas as possíveis eventualidades. No caso de ocorrências, entre em contato com ele de forma imediata e informe qual a razão do atraso, sem tirar nem por. Peça desculpas e, se necessário, ofereça algum desconto ou vantagem que possa compensá-lo pela falta. Clientes podem ficar satisfeitos com um serviço, ainda que ele não seja absolutamente perfeito – para que isso ocorra, no entanto, é você quem tem que cuidar desse assunto com carinho e dedicação.

banner