Granel sem lona nem pensar

Apesar de passível de advertência e consistir de fato em uma infração, o trânsito de caminhões com granéis sólidos sem lona ou acondicionamento adequado era um inconveniente que nem sempre levava a multas. Uma nova resolução do Contran (Resolução n°441/2013) entrou em vigor no finalzinho de junho e, além de especificar em detalhes o modo com o qual a carga deve ser transportadas nesses casos, também permitiu que fosse fixada multa de R$ 127,00 para o descumprimento no flagrante de caminhoneiros transportando itens como brita ou areia sem que a carga esteja completamente coberta com lonas e proteção.

As lonas deverão, de acordo com a resolução, estar bem ancoradas no veículo, cobrir totalmente o produto na carroceria e, é claro, estar em bom estado de conservação e uso. A medida vale para grãos, materiais de construção, entulho e até legumes e frutas e quaisquer outros graneis semelhantes. De um modo geral, a medida visa reduzir acidentes e inconvenientes causados pelo vazamento de carga de caminhões que trabalham com material solto. Em entrevista a diversos veículos sobre o tema, autoridades dos setores de estradas e rodagem prometem mais rigor na fiscalização e multas já começaram a ser aplicadas nesse valor já no início do mês de julho.

Resoluções anteriores do Contran já proibiam o trânsito de caminhões com carga granelada “derramando, lançando ou arrastando sobre a via carga que esteja transportando”, porém não havia um valor fixado para multas e também eram vagas resoluções anteriores a respeito da disposição da carga e lonas nos veículos. Além da obrigatoriedade de lonas e coberturas, vale lembrar que carretas devem transitar, quando cheias de carga sólida a granel, com guardas laterais fechadas e telas ou malhas metálicas com dimensões suficientes para impedir vazamento ou queda da carga.

Na prática, para o bom caminhoneiro e transportador, nada muda. Ainda assim, talvez essa seja a hora de substituir aquela lona que já deu o que tinha que dar, não?

 

Leitor de código de barras

Identificação de carga – o código de barras

O código de barras, na logística rodoviária e também outros modais, é um velho conhecido. O sistema, utilizado até hoje, foi descoberto pela IBM em 1973, embora sua ideia tenha sido anteriormente patenteada por dois pesquisados da Universidade de Drexel, na Filadélfia, Estados Unidos. O padrão internacional EAN-13 (de European Article Number) é utilizado no mundo inteiro, Leia Mais

Paranaguá reduz filas com cadastramento on-line

Famoso por aparições nas televisões, exibindo enormes filas e esperas de até 24 horas por parte de caminhoneiros, o Porto de Paranaguá, no estado do Paraná, afirma ter reduzido consideravelmente o tempo de espera para motoristas e embarcadores, com a introdução de um sistema de cadastramento on-line de veículos e cargas – o “Carga Online”. O porto, com a mudança, recebe dados sobre caminhões chegando ao porto com antecedência e os cruza com dados de navios e embarcações, agilizando parte do processo de encaminhamento das cargas dos transportadores. Leia Mais

Ajuda humanitária: A logística de fazer o bem

Imagine receber milhares de diferentes produtos e equipamentos de centenas de fontes de todos os Estados Unidos e não saber o que cada remessa conterá até a chegada no seu armazém.

Pode soar como um pesadelo de supply chain, mas isso é normal para a MedShare, uma organização sem fins lucrativos localizada em Decatur, Georgia, Estados Unidos, que recupera e redistribui equipamentos e suprimentos médicos excedentes. Leia Mais

Reduzir o impacto ambiental pode gerar recompensas financeiras significativas? Para a Caterpillar, a prova está nos lucros

Ultimamente parece que automóveis, e não caminhões, estão na via expressa da sustentabilidade. Em agosto de 2012, a administração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou novas e rigorosas normas de economia de combustível para carros e caminhões leves. Em 2025, projeta-se que automóveis vendidos nos Estados Unidos andem até 23km com um litro de gasolina. Mas, enquanto os automóveis estão progressivamente se beneficiando da tecnologia que reduz emissões mesmo que aumentando a atividade, o frete está ficando de fora. Leia Mais