marketing

10 dicas de marketing para alavancar suas vendas

Sabe aquela história de que o marketing só serve para médias e grandes empresas? Está na hora de rever seus conceitos. Uma das formas de gerenciar seu negócio é planejar meios de que os seus potenciais clientes cheguem até você.

Os clientes estão cada vez mais exigentes e mesmo que você tenha a melhor solução do mundo, se você não for conhecido por ela, suas vendas serão mais difíceis. O marketing é a ferramenta que está diretamente ligada com isso: planejamento, inovação e divulgação da sua marca.

Para isso, separamos algumas dicas de marketing para micro e pequenas empresas de como alavancar suas vendas:

Dica 01: Planeje-se

Para qualquer ação na sua empresa é preciso se programar e com o marketing não é diferente. É no planejamento de marketing que se define as metas, estratégias e registros dos resultados.

É um grande erro pensar que marketing é uma ação isolada que pode ser feita sem maiores planejamentos. Separe um tempo para pensar (e registrar) o seu planejamento. Você pode fazer isso com seus sócios e responsáveis de cada setor.

Se você não sabe como registrar e fazer esse planejamento, siga nossas próximas dicas e anote o máximo de informações possível.

Dica 02: Conheça seu mercado

Responda e registre as seguintes perguntas:

  •         Qual o mercado onde sua empresa atua?
  •         Qual a capacidade de crescimento?
  •         Quais os pontos fortes e fracos da sua solução?

Conhecendo melhor a sua empresa, mais fácil fica de definir sua estratégia de marketing.

Dica 03: Conheça seus clientes

Para você traçar uma boa estratégia de marketing, precisa saber quem são os seus clientes e ter o máximo de informação possível sobre eles.

É importante que você tenha clareza do seu público-alvo e defina estratégias específicas para cada tipo, se a sua empresa tiver mais de um. Por exemplo: se o seu produto é voltado para adolescentes e adultos, suas estratégias de marketing precisarão ser diferentes para cada tipo de público-alvo.

Dica 04: Analise seus concorrentes

Você precisa ter, pelo menos, noção do produto do seu concorrente, quais são os pontos fortes e os pontos fracos deles. Isso faz com que você tenha mais clareza do que funciona ou não e dos pontos que precisam ser melhorados. Você pode analisar os produtos, site, redes sociais, e-mail e telefone.

Assim fica conhecendo, também, o atendimento do seu concorrente. Não se esqueça de fazer isso de maneira anônima.

Dica 05: Defina suas ações

Agora você já tem todos os dados que precisa para definir suas ações. O que você pretende com as ações de marketing? Aumentar suas vendas? Fazer com que o cliente consuma mais?

Essa é a etapa de definir se você trabalhará com anúncios, fará promoções ou trabalhará com marketing de conteúdo e redes sociais.

Dica 06: Programe-se e registre os resultados

Montar um cronograma, com datas de elaboração, implantação e registro é essencial para o sucesso da sua ação de marketing.

Você pode usar ferramentas de compartilhamento de arquivos, como por exemplo, o Google Drive para dividir as responsabilidades e resultados com a equipe. Essa etapa é muito importante, pois é através dela que você tomará decisões futuras.

Dica 07: Esteja nas redes

Essa dica pode parecer relevante para muitas empresas, mas é importante que você tenha um site e esteja nas redes sociais.

Além de aumentar o alcance do marketing digital, estar na rede é manter os seus canais atualizados com informações relevantes. De nada adianta ter um Facebook e ficar postando informações irrelevantes sobre a sua empresa. Preocupe-se em entregar conteúdo interessante para seus clientes.

Cuide com as métricas de vaidade. Nem sempre ter mais curtidas e compartilhamentos são um bom negócio. Você quer ser lembrado por ter fotos legais ou por divulgar conteúdo relevante? Se você tiver uma empresa de fotografia ou edição de imagens, ser lembrado por fotos legais é uma boa! 🙂

Vale a pena a leitura do post da marketing de conteúdo, por que nós precisamos falar sobre as Métricas da Vaidade?

Não tenha uma página como um cartão virtual, com fotos e contato. Seja uma plataforma rica para difusão de conteúdo relevante!

Dica 08: Mantenha sua marca no comércio

Todas as empresas precisam se preocupar com a marca. E isso tem tudo a ver com a nossa dica anterior. Manter (ou aumentar) o posicionamento com o seu cliente é o processo que chamamos de branding.

Você precisa demonstrar força nos seus valores e lugares para que seu cliente confie em sua marca e consuma com mais frequência.

Dica 09: Cuide das finanças

Você precisa controlar o quanto foi investido em marketing e quanto retorno está dando. Assim, você consegue acompanhar quais ações tem sucesso e quais precisam mais lapidadas.

Fazer esse controle é importante para que você não perca o controle financeiro e invista mais do que o retorno.

Dica 10: Não desista!

Nem sempre suas estratégias darão certo. Trabalhar com marketing é pesquisar, estudar e alinhar estratégias constantemente. Não desanime se a sua campanha não deu tão certo assim. Tome isso como estratégia para novas campanhas! Esteja sempre aberto para novas informações.

Não caia no grande erro: sempre fiz assim e deu certo! Ouse e inove em coisas novas! O mercado clama por mudanças e seus clientes também. Boa sorte!

embalar

O guia definitivo para embalar os seus produtos

O fato é que as pequenas empresas têm, na maioria das vezes, poucos recursos para competir. As que trabalham com entregas, passam por um momento que normalmente gera muita dor de cabeça: embalar os produtos.

Apesar de ser uma etapa que traz muitos desafios, um produto bem embalado traz muitos benefícios: o risco de acontecer avarias é reduzido, você cria um bom relacionamento com seu cliente e ainda consegue destacar a sua marca com uma embalagem diferenciada (e você não precisa gastar fortunas com isso!).

Separamos algumas dicas que acabarão com os problemas na hora de embalar suas mercadorias! Use a inteligência com suas embalagens!

Aproveitar nem sempre é possível!

Se você recebe a sua mercadoria para revender, aproveitar a embalagem que você recebeu, nem sempre é a melhor escolha. Por vezes ela está desgastada, em outras a embalagem tem muito espaço sobrando. Lógico que se a embalagem puder ser reaproveitada excelente! Mas, vale a pena investir em uma embalagem com a cara da sua empresa.

E como escolher a embalagem ideal?

Para embalar a sua mercadoria corretamente, a escolha da embalagem é o ponto mais importante. Você pode recorrer a uma fornecedora de embalagens e comprar as mais simples de papelão. Uma dica é fazer um carimbo com a sua logo e personalizar as suas caixas, você fará uma economia considerável, comparado com as embalagens personalizadas.

Alguns pontos que precisam ser avaliados na compra da embalagem perfeita: ela precisa resistir ao peso e se adequar ao formato do seu produto. Nem sempre é preciso uma caixa, muitas vezes você pode optar por pacotes, tubos, plásticos e até mesmo embalagens em isopor.

Vamos explicar na prática quando usar as duas embalagens mais comuns:

Caixas: quando seu produto amassa ou precisa ficar imóvel na embalagem, uma opção são as caixas. Você pode preencher o espaço que sobrar com bolinhas de isopor ou papel amassado, para garantir ainda mais a segurança no transporte. Cuide para não aumentar muito o peso e pagar mais caro pelo frete.

Sacos plásticos: os sacos são opções para quem precisa de uma embalagem maleável e flexível, como o caso do envio de roupas.  É importante que os sacos sejam grossos e não abram facilmente. Tome cuidado na hora de fechar sua embalagem, para não correr o risco de causar avarias e perdas às mercadorias. Nossa dica é que você procure sacos plásticos com as cores da sua empresa, é mais uma forma de personalizar sem custos elevados.

Ah! Vale lembrar que estamos falando de embalagens para mercadorias que não são frágeis.  Caso você precise enviar vidros ou outros objetos delicados, é importante garantir ainda mais segurança para as mercadorias.

Sugerimos embalar (bem!) seus produtos com plástico bolha e utilizar uma embalagem de isopor para evitar o contato. É importante que a caixa também seja preenchida para que a mercadoria não se danifique durante o transporte.

Se a sua mercadoria for delicada, vale a leitura do post: embalagens e armazenamento de produtos frágeis.

Você ainda tem alguma dúvida sobre como embalar os seus produtos? Compartilhe conosco, podemos ajudar!

market share

Market Share: entenda esse indicador

Para melhorar e apurar seus negócios, vários indicadores ficaram conhecidos pelos empreendedores, o market share é um deles e serve para definir qual a porção de clientes do mercado.

O que é market share?

O market share é a parcela de participação no mercado da empresa. Ele é útil para as empresas de todos os portes, pois é a partir desse indicador que você conseguirá entender melhor o mercado.

Vamos supor que queremos saber o market share da empresa X entre as transportadoras. É preciso buscar dados de quantos fretes são feitos no Brasil, de forma hipotética, vamos considerar 100 e quantos são responsabilidade da empresa X, que vamos considerar 12. Isso significa que a transportadora X tem o market share de 12%.

A importância de conhecer esse indicador é definir qual a porcentagem do mercado que quer ocupar. Não há uma análise se ele está baixo ou alto e não há, também, um número ideal. O market share vai mostrar qual a situação atual da empresa em relação com o mercado geral.

Você pode utilizar outros dados: pode saber qual o market share regional ou qual a fatia de mercado que a sua empresa ocupa em relação a concorrente, etc. Além disso, você pode medir o progresso do seu negócio, medindo o seu market share com alguma regularidade.

Como calcular o market share?

O market share pode ser calculado de três formas diferentes: pelo volume de vendas, pelo faturamento e também pelo número de clientes. Vamos explicar mais detalhadamente cada uma delas:

Calculando o market share pelo volume de vendas

Uma padaria vende mensalmente cerca de 5 mil pães, mas no seu bairro são vendidos cerca de 75 mil.

É só aplicar uma regra de três para encontrar o market share:

75 mil = 100%

5 mil = x

5 mil x 100 / 75 mil = 6,6%.

O market share dessa padaria é de 6,6%.

Calculando o market share pelo faturamento

Em uma praça de alimentação, quatro lanchonetes faturam R$ 100 mil por mês, uma delas vende sozinha R$ 30 mil por mês. Vamos calcular:

100 mil = 100%

30 mil = x

30 mil x 100 / 100 mil = 30%.

O market share dessa lanchonete é de 30%.

Calculando o market share pelo número de clientes

Uma empresa de contabilidade atende 8 clientes na cidade, o total de clientes que contrata esse tipo de serviço na cidade é cerca de 50. Aos números:

50 = 100%

8 = x

8 x 100 / 50 = 16%.

O market share dessa contabilidade é de 16%.

Os números devem ser analisados levando em conta a porção de clientes que essas empresas querem ter, o tempo que estão no mercado, se esse número aumenta ou não, entre outros. Só os números, descontextualizados, podem trazer informações irreais da situação atual da empresa.

Como aumentar o market share?

Quando há interesse em aumentar esse indicador, você deve tomar cuidado para não cair em estratégias que aumentem market share temporariamente.

Cuidar da fidelização dos clientes é um ponto muito importante para manter o índice bom. Você também pode pensar em algum diferencial que destaque você dos concorrentes, assim é mais fácil de atrair novos clientes.

Uma outra estratégia em investir em marketing e propaganda, pode ser que seus clientes potenciais não conheçam a sua empresa, e aí você está perdendo dinheiro.

É claro que ao aumentar o número dos seus clientes, você deve ficar atento para continuar operando com qualidade, não deixe os índices de satisfação caírem para aumentar o índice de participação no mercado.

E na sua empresa, qual o market share que você quer ter? Compartilhe conosco!

reduzir a inadimplência

Dicas para reduzir a inadimplência

Escapar da inadimplência é uma missão (quase impossível!) para todas as empresas, pensando nisso, fizemos esse post com algumas dicas bem fáceis de serem colocadas em ação para reduzir a inadimplência na sua empresa.

Como reduzir a inadimplência?

Não existe uma fórmula exata para reduzir a inadimplência. Trabalhar com pagamentos posteriores a prestação do serviço ou venda do produto sempre trará algum risco. Mas, existem ações que você pode tomar para prevenir e consequentemente reduzir a inadimplência. Confira nossas dicas:

Se for vender a prazo, saiba sobre o cliente

O crediário é uma das opções de pagamento que mais trazem problemas no pagamento. No anseio de vender mais e proporcionar meios para o cliente pagar, o crediário ainda é utilizado por muitas lojas. Mas, é preciso calcular o impacto que essa medida trará aos caixas.

Se você optar pelo uso do crediário, é necessário ter informações sobre o seu cliente. O ideal é, além das informações dos documentos e contatos, consultar o SPC e Serasa, evitando assim vender para quem já está com problemas nos pagamentos de outras empresas.

Uma outra dica é liberar um limite menor e conforme os pagamentos serem efetuados, reavaliar o limite de cada cliente.

Tenha vantagens para vendas à vista

O incentivo às vendas à vista pode ser uma das formas de reduzir a inadimplência. Incentivar e considerar descontos e benefícios para aqueles que pagarem em dinheiro ou no cartão de débito e crédito, é ótima alternativa. Fuja dos cheques, eles podem ser um problema na hora de receber.

Faça contratos

Dependendo do formato do seu negócio, formalizar a sua venda é importante e a assinatura do contrato traz mais segurança à sua empresa. Caso você não receba pelo serviço ou produto, com o contrato assinado, é mais fácil recorrer à justiça em casos de inadimplência.

Tenha um bom sistema de gestão

As dicas que demos acima para reduzir a inadimplência podem ser colocadas em prática por qualquer empresa, mas se a sua tiver um bom sistema de gestão, essas ações serão ainda mais fáceis de serem implementadas.

Com um software, é mais simples de analisar os históricos de compras e pagamentos dos seus clientes, gerar contratos, avisar sobre os vencimentos e atrasos e até mesmo gerar contratos.

Se você ainda não tem um sistema de gestão, a aquisição de um pode ser um bom investimento!

Se o pagamento atrasar, seja rápido

Quanto mais rápido você identificar um pagamento atrasado, mais chances você tem de receber por ele. É preciso tomar cuidado para que a cobrança não afaste o cliente da sua empresa. Os atrasos acontecem, mas você não quer perder um cliente, certo?

O SEBRAE-SP produziu um material com algumas dicas de como cobrar a inadimplência, o passo-a-passo é:

Entrar em contato com o cliente inadimplente, de forma educada, sem constrangimentos. Você pode enviar um e-mail ou até mesmo ligar para o cliente lembrando-o do ocorrido. Caso o cliente mostre interesse em quitar esse débito, é possível analisar um novo acordo para a quitação.

Caso não haja o pagamento, tente contato novamente informando que o contato é a última tentativa de negociação antes de cobrança judicial.

Se mesmo assim não houver negociação, é preciso registrar a dívida nos órgãos de proteção ao crédito. E a cobrança passa então, a ser cobrada de forma judicial.

Ah! É importante lembrar que, dependendo do porte da sua empresa, você não precisa ter um setor todo voltado a cobrança e prevenção, você pode treinar um colaborador para ser o responsável.

Reduzir a inadimplência é uma tarefa muito importante em qualquer empresa. Que tal implementar nossas dicas e contar para gente os resultados?