Venda local x venda nacional

Se você tem ou pensa em montar um comércio, tenho certeza que já se perguntou: é melhor vender localmente ou abrir as portas para todo o Brasil? Os dois trazem vantagens e alguns desafios, vamos tentar te ajudar:

Vendas locais

As vendas locais são aquelas que você faz no seu estabelecimento comercial atingindo somente a população da região ou trazendo pessoas de outras regiões para o seu estabelecimento.

Para que se venda localmente é preciso que você tenha um local físico onde consiga divulgar e apresentar os seus produtos, é necessário ter uma equipe voltada para as vendas (comercial, caixa, gerente, SAC, etc.), para que a venda se efetue e o cliente se fidelize.

Geralmente nesse tipo de comércio trabalha com estoque, então é necessário que você tenha algumas peças de cada mercadoria que irá vender, você leva vantagem também, pois ao comprar, seu cliente já sai com a mercadoria na mesma hora.

Nas vendas locais você consegue também acompanhar o processo de venda da sua equipe e alinhar os pontos que precisam ser reparados e incentivar os pontos positivos, tendo assim um acompanhamento do atendimento.

E nas vendas para todo o Brasil?

As vendas para todo o território nacional podem ser feitas de diversas maneiras, você pode montar uma loja virtual, trabalhar com pedidos por telefone ou e-mail, enviar catálogo, fazer parceria com outras lojas, enfim, são várias as possibilidades.

Mas para que essas vendas funcionem é necessário que você tenha um espaço físico que seja uma referencia para os seus clientes, além de divulgar os seus produtos no comércio local. É necessário também que tenha uma equipe maior, que dê suporte para as vendas feitas fora da loja.

Também precisará ter um encarregado pela logística, que cuidará do envio das mercadorias para os seus clientes ou parceiros. O encarregado precisará buscar sempre o melhor custo benefício para o envio das mercadorias.

Você tem a vantagem de ter mais gente trabalhando indiretamente pra você, mas pode ser que perca um pouco em qualidade de atendimento, pois a equipe talvez não tenha o acompanhamento e treinamento necessário para a venda dos seus produtos. É muito desagradável quando um cliente fica insatisfeito por uma mercadoria por causa de um equívoco na hora da venda, não é mesmo?

E devo vender local ou nacional?

Sugerimos que você analise quais as demandas de mercado da sua região e das outras regiões, se optar por vender nacionalmente faça um levantamento de possibilidades de negócios que você saiba que conseguirá atender com qualidade.

Quem vende localmente pode vender nacionalmente. Abrir possibilidades pode ser muito benéfico para sua empresa. Vender mais sempre é bom, certo? Quando você tem um negócio local que vende ou produz produtos exclusivos, ou seja, que as pessoas não encontrarão em outras regiões, seu potencial de aumentar suas vendas é muito grande e você poderá duplicar, triplicar a sua receita.

Como vender nacionalmente?

O primeiro passo é permitir que as pessoas conheçam seus produtos. Com as novas opções de mídias, como o Facebook, Instagram e Youtube você pode divulgá-los para todo o Brasil, mesmo contando com um baixo orçamento de marketing. Seja criativo e fale de coisas que seu público alvo se interesse.

A dúvida agora é como enviar o produto. O transporte pode ser realizado por transportadoras ou pelos correios. Os correios atendem todo o Brasil, mas não transporta cargas com mais de 30kgs e você precisará levar suas encomendas até a Agência, ao menos a princípio. As transportadoras geralmente são regionais e você precisará contatar ao menos umas cinco para conseguir atingir todo o Brasil. Você pode começar atendendo algumas regiões e inclusive terceirizar essa responsabilidade para o seu cliente, ou seja, você tem o produto e realiza a venda, mas é necessário que ele encontre uma transportadora para retirar o produto na sua empresa.

A CARGOBR também é uma opção. Conosco, mesmo sem conhecer nada sobre transporte ou logísticas você pode vender seus produtos para todo o Brasil. Basta você fornecer alguns dados da carga, que instantaneamente você saberá o valor do frete e poderá contratá-lo com poucos cliques. Nós também fornecemos toda a assessoria durante o transporte da sua carga ajudando a garantir que a entrega do seu produto ocorra como você planejou.

Coleta de Mercadoria: como usar a seu favor.

Quando você contrata um serviço de transporte de carga, a transportadora informa o dia que irá coletar sua mercadoria, não é mesmo? Quando esse prazo é cumprido, excelente! E quando não é? Começam os problemas: seu depósito fica ocupado por um tempo superior ao planejado, prejudicando toda a mobilidade e disponibilidade para receber novas mercadorias, além de causar apreensão, pois você também tem um prazo para entregar a mercadoria ao seu cliente.

Como podemos prevenir as falhas no embarque?

Existem algumas medidas que se tomadas podem evitar o atraso ou o insucesso na hora do embarque:

  • É importante que ao agendar a sua coleta, você se certifique que estará no local, caso não seja possível, deixe algum responsável pelo embarque e oriente-o sobre o procedimento.
  • Também é importante que sua mercadoria esteja embalada adequadamente para o transporte, assim não haverá imprevistos na hora da coleta.

É essencial que, além dos cuidados com a mercadoria, o encarregado pela logística tenha tempo para avaliar, escolher, negociar e contratar o melhor frete para aquela circunstância, levando em conta os valores, mas também os seus prazos, para que assim consiga analisar a melhor oferta de serviço para o seu cliente.

Não se esqueça de sempre anotar o número passado na coleta, ele é o número de rastreio e é com ele que você conseguirá rastrear a sua mercadoria, saber onde está e por quais procedimentos já passou (ou ainda irá passar), além de ser seu comprovante de envio.

Além disso, tome cuidado com os prazos que antecedem a logística. Geralmente os atrasos na preparação da mercadoria, seja por não ter o produto em estoque ou por problemas operacionais, são compensados apertando os prazos da transportadora. Sempre informe o prazo para o seu cliente com uma folga que seja capaz de compensar esses possíveis problemas.

E se mesmo assim a coleta atrasar?

Nossa dica é que mantenha um contato direto com a transportadora, seja por telefone ou por e-mail (desde que você consiga confirmar o recebimento e ter um retorno), que garanta a comunicação entre o serviço que contratou e as suas necessidades.

Sabemos que imprevistos acontecem, às vezes algo inesperado acontece, as transportadoras contam com instabilidades no tempo, rotas programadas que furam, problemas nos veículos, entre outros, mas garanta que o imprevisto não se torne um problema para você.

Ao contratar um frete pela CARGOBR fazemos todo esse intermédio para sua empresa, tornando suas coletas e entregas mais rápidas e eficientes, além de garantir o melhor preço naquela rota, assim você pode dedicar seu tempo para otimizar outros recursos da empresa.

Frete e e-commerce – uma equação perigosa

Quem tem um e-commerce ou uma loja online precisa diariamente conviver com os custos de frete para clientes e o impacto que isso possui em seu negócio. Excelentes margens de lucro podem ser achatadas ou até sumir, caso você não realize os cálculos da maneira correta. Há diversos casos nos quais o frete acaba sendo usada como vantagem comercial sobre a concorrência, mas isso pode ser uma faca de dois gumes…

Cuidado com o frete grátis no e-commerce

O frete grátis é uma prática comum entre lojas online mais fortes para atrair clientes, mas em alguns casos ele pode sumir completamente com a margem em alguns produtos. As vendas podem aumentar, mas isso pode gerar um problema ainda maior: se você vende com prejuízo, quanto mais vender, pior será. Além disso, ao colocar promoções sem cobrança de frete, você acaba acostumando “mal” seu cliente. Ele passa a esperar o benefício de forma automática e, quando você se vê obrigado a cortar o desconto, acaba perdendo a clientela. O e-commerce é uma atividade que exige que cálculos sejam bem feitos – o menor erro pode botar tudo a perder.

Outra: a possibilidade de frete grátis exige que seu cliente possua um tíquete-médio alto. Se você tem uma loja que vende produtos e artigos de pouco valor agregado, eximir o cliente do frete significa que, às vezes, você estará pagando pelo transporte quase o mesmo que o cliente pagou pelo produto! Um absurdo que apenas o e-commerce pode criar para você. A melhor política, em todos os casos dentro de um sistema de e-commerce, é calcular tudo no lápis, e se possível produto por produto.

Transportadoras especializadas

Muitos utilizam a solução dos Correios específica para e-commerce. Ela funciona, mas depende do que você irá transportar e em que volume. Algumas transportadoras possuem, contudo, políticas e produtos específicos para o segmento, muitas delas inclusive podem ser contratadas por meio do sistema de cotação de fretes da CargoBR. Um fornecedor especializado entende as necessidades e desafios particulares do segmento de e-commerce, e poderá ajudá-lo a calcular e dimensionar melhor seu negócio.

Políticas por região

O próprio frete grátis pode ser uma boa, assim como o uso de modais eventualmente mais caros, como o aéreo – tudo depende de “pra onde” você irá embarcar. Varie fornecedores e estude possibilidades de forma regional: cada rota e região precisa receber atenção distinta, para que no final de tudo você possa usufruir de lucros ao embarcar qualquer produtos e para qualquer região.

Cuidado, os Correios não servem para tudo…

Grande parte das remessas e transportes no Brasil são feitas pelos Correios, como não poderia deixar de ser. Além de prestadora mais tradicional e empresa pública, os Correios possuem exclusividade em alguns tipos de remessa e sim, preços muito bons em muitos casos para envio de mercadorias e fretes leves. Mas se você APENAS usa os Correios pode estar perdendo dinheiro.

Pesquisar preços com fornecedores é algo vital para qualquer empresa, porém quando se trata de serviços como o Sedex, pequenos empresários apenas aceitam os preços dos Correios como sendo os mais vantajosos – mas isso nem sempre ocorre. Os Correios, apesar de públicos, são uma empresa com custos e formação de preços como todas as demais e em algumas regiões, rotas e nichos, transportadoras privadas simplesmente conseguem fazer preços muito mais baratos.

Quando pesquisar?

Nós diríamos sempre: é possível ter uma ideia dos preços praticados por transportadoras para determinada rota e remessa em menos de um minuto. Aqui na CargoBR, por exemplo, disponibilizamos cotações com transportadoras em tempo real para sua carga. Basta ingressar em nosso site, cadastrar sua carga e, em alguns segundos, você terá cotações em tempo real de várias transportadoras diferentes. Depois, basta comparar com o valor que você pagaria nos Correios.

É claro, uma boa parceria com os Correios, especialmente se você atua no comércio online, é essencial para sua empresa, mas sempre realize cotações, de tempos em tempos, para saber se alguma rota ou operação pode ser barateada com o uso de um fornecedor ou transportadora privados. Você se surpreenderá com como os preços podem ser mais em conta em alguns casos.

Onde os Correios sempre ganham?

Claro, há rotas nas quais os Correios são imbatíveis. Regiões mais inacessíveis, de difícil acesso ou com poucas opções de modais e rotas devem geralmente ser deixadas por conta dos Correios. Com agências em praticamente qualquer lugar do país, os Correios conseguem de um modo ou de outro entregar produtos que muitas transportadoras simplesmente falham em transportar ou cobram extras caros demais para tornar a remessa viável. Entretanto, esse tipo de entrega é praticamente uma exceção para a maioria das empresas, que em geral atuam com clientes em grandes centros urbanos para 80% ou 90% de suas vendas.

Os Correios também possuem algumas facilidades para parceiros que podem tornar remessas mais baratas. O problema, nesse caso, é um só – os Correios são enormes, então para que você tenha alguma vantagem representativa de custo em parcerias, é preciso lidar com volumes muito, mas MUITO grandes.

 

Cuidados no frete com objetos frágeis

Não é apenas na mudança, no âmbito empresarial, objetos frágeis também têm de ser embalados com cuidado e, muitas vezes, não é a transportadora quem tem de se responsabilizar inteiramente por isso. Ainda que haja seguro, danos a objetos e mercadorias nunca são bem-vindos. Quando ocorrem, clientes recebem a mercadoria em atraso e outras despesas geralmente aparecem. Então, para evitar tudo isso, que tal ter um pouco mais de cuidado antes mesmo de fechar o frete.

Tamanho certo

Cuidados no frete com a embalagem começam na hora de selecionar o tamanho das mesmas. Não tente “lotar” caixas e invólucros e sempre utilize embalagens do tamanho certo para os produtos que estejam sendo enviados. Quando o objetivo é evitar trepidações, tenha certeza de que os objetos possam ser escorados, então use caixas e embalagens mais justas. Se o objeto for frágil, porém precisar de alguma “folga”, opte por embalagens um pouco maiores que a carga.

Preenchendo vazios

A maioria dos objetos frágeis requer cuidados no frete adicionais – preencher espaços vazios nas embalagens. Plástico-bolha é sempre o ideal, mas caso você não o possua, é possível usar jornal ou pedaços de papel “kraft” embolados. Isso fará com que os espaços vazios nas caixas sejam preenchidos e os objetos transportados não possam balançar, trepidar ou se chocar entre si, no caso de itens frágeis e que possam trincar ou rachar ao bater uns nos outros, como vidros.

Use divisórias

Algumas cargas, como garrafas e frascos, exigem não apenas a caixa certa, mas também divisórias padronizadas, que possam isolá-los uns dos outros. Não economize nisso. Às vezes, um único frasco quebrado pode danificar toda uma carga, no caso de líquidos viscosos ou oleosos, e também cargas de outros clientes da transportadora, no caso de líquidos contaminantes. Líquidos inflamáveis devem ser, no entanto, informados à transportadora, para que cuidados adicionais possam ser tomados.

Etiquetas e avisos

Pode criticar o trabalho da transportadora, mas sem identificar as embalagens com dizeres de “frágil”, os colaboradores do prestador de serviços não têm muito como adivinhar. Cole etiquetas de frágil, dê descrições precisas do material que está sendo transportado e, se necessário, coloque mais instruções na embalagem, como por exemplo o sentido no qual devem ser erguidas e apoiadas, número máximo de caixas no empilhamento, etc. Informação é algo essencial no transporte de mercadorias e, para garantir que o melhor serviço possível seja prestado a você, é preciso também que você faça sua parte.

banner